domingo, 21 de setembro de 2014

San Pedro de Atacama - Dia 4 - Uma Paraíso chamado Salar de Tara

Esse foi um dia muito esperado. Todas as pesquisas que eu fazia pela internet tinham comentários mais que positivos desse lugar chamado Salar de Tara!

O dia começa como todos os outros, um frio de matar!!! Eu e minha amiga Ana entramos na van e seguimos rumo ao Salar de Tara. Por todo o percurso podemos admirar e contemplar os lindos vulcões e as llamas existentes em Atacama.

Encantada!

Por onde você olha o deserto se faz presente, de uma maneira que eu jamais imaginei. Vulcões, areias, lagos congelados, montanhas com pitadas de gelo, céu azulado com nuvens formando desenhos maravilhosos no céu!

Sem coragem pra arriscar a pisar na lagoa congelada!

Não aguentamos de ver tanta beleza e paramos no meio da estrada para poder tocar nas obras primas que o amontoado de gelo criava ao redor da estrada.

Paradinha básica na estrada pra curtir!

Pintura de Deus!
Nos sentíamos um grão de areia em meio a tanta beleza criada por Deus! A todo momento agradecíamos cada minuto vivido naquele lugar. Meu cérebro não conseguia processar o que meus olhos viam! A cada clique na câmera fotográfica saía uma pintura, mesmo eu não sendo nenhuma fotógrafa profissional!

Precisa de legenda?
Uma linda janela! rs
Parando para repor as energias!
Que céu é esse?
Salar de Tara fica localizado aproximadamente a 120 km de San Pedro de Atacama e a 4.400 m de altitude e é um lugar que possui as paisagens mais lindas e impressionantes de Atacama!
Eu defino Salar de Tara como sendo um lugar mágico, que nos transforma e consegue trazer o que há de melhor dentro de nós.

Como é bom voar!
Imagina um quadro desses na sua sala!!!
Após passarmos uma manhã especial babando com tudo o que esse lugar tem a nos oferecer, paramos em um Refúgio criado no meio do deserto com pedras, bloqueando os fortes ventos que surgem no deserto. Nesse refúgio paramos para almoçar...

Foi aí que eu e a Ana começamos a ficar "cabreiras"...rs..
Nos deu uma vontade de ir ao banheiro...e quem disse que no meio do deserto tem banheiro? Ingenuidade nossa!!! Tivemos que nos virar com o famoso "banheiro natural". Imaginem só a vergonha e desespero em estar apertada e ter que achar um cantinho no meio do nada onde ninguém possa te ver fazendo uma das necessidades básicas do ser humano! hahahaha

Após estarmos aliviadas, inicia-se a maratona da criação do nosso "almoço". O guia começou a montar a cozinha dentro desse refúgio. Montamos o "fogão'", a mesa e nos sentamos aguardando o tão esperado almoço! De dentro do isopor saía pão, atum, guacamole, maionese, tomate, queijo e as bebidas. Na hora olhei para a Ana e trocamos pensamentos...Como vamos comer isso no meio do deserto, sem o mínimo de higiene? E ainda por cima atum!!!! Jesus nos salve!
Mas a fome era tanta que caímos pra dentro e comemos o "sanduba" de atum com guacamole pensando "E seja o que Deus quiser!".

Preparando o almoço!
Tivemos coragem ou fome?
Mas tenho que assumir que ficou muito bom. Ainda tenho dúvidas se estava bom mesmo ou se era a fome"! Hahahah... O que importa é que sobrevivemos!

Depois de um dia no Paraíso (posso dizer que foi um dos visuais mais incríveis que presenciei em meus plenos 33 anos de vida), retornamos a San Pedro de Atacama.

Corpo cansado, mas a mente a mil, decidimos cumprir com o prometido ao dono do Bar Barros, decidimos ir festejar e ensinar samba!

Galera novamente reunida no Bar Barros, comendo aquelas delícias e bebendo bastante por sinal! Afinal de contas, para subir em um palco em outro país, com um público desconhecido para ensinar samba, só a bebida mesmo pra ajudar!

Mas promessa é divida, meu querido, amado amigo e garçom Ricardo chamou eu e Maryanna ao palco...
Ai meu Deus, chegou a hora. E começou a festa!

A galera toda de olho nas brasileiras, filmando tudoooo...Léo sobe no palco também para mostrar todo o gingado carioca aos Chilenos, Alemães entre outras nacionalidades que estavam nos assistindo!
Confesso que a vergonha acabou ficando de lado. Subimos, ensinamos, dançamos e posso dizer que arrasamos!!! E em troca Ricardo nos ensinou "pachanga"! Adorei!!!!

Amo mais que chocolate!
Ensinando o gingado carioca!
A noite estava estava tão divertida, que achamos que não poderia acabar! Fomos chamados para ir a uma festa clandestina.

Não sei se todos sabem, mas em San Pedro é proibido dar festas! Até hoje não consigo entender o por quê. E para fugir de toda essa "repressão" as pessoas locais acabam dando festas clandestinas.

Ficamos com certo receio, e passaram várias coisas em nossas cabeças antes de decidirmos ir. Uma delas era, "se é uma festa clandestina, será que seremos presas em pleno deserto?"
Respiramos fundo e decidimos ir para averiguar do que se trata essa festa. Mas pelo nome já imaginamos muitas coisas! rs.

Para chegar a festa tínhamos a impressão que saíamos da "civilização" e o medo começou a bater...rs
Passamos por lugares bem escuros! Começamos a ouvir uma música tocando bem de longe.
Chegando no local, tinha um rapaz com uma lanterna cobrando mil pesos pela entrada, mas não precisamos pagar, pois um chileno acabou pagando a nossa entrada como forma de dar as boas vindas.

Ao ver tudo aquilo, a primeira coisa que veio à minha cabeça foi um trecho daquela música do Legião Urbana "Festa estranha com gente esquisita"...
Me parecia um quintal dos fundos da casa de alguém, com fogueiras espalhadas pelos cantos, música alta, galera conversando, uma certa escuridão pra tentar fugir do "carabineiros" (policiais)... Achamos tudo muito estranho mesmo!!!!

Mas aos poucos fomos nos acostumando com o local. Conhecemos realmente pessoas "estranhas", mas valeu a pena a experiência!

Afinal de contas o que seria ir à San Pedro de Atacama e não curtir uma festa clandestina?

E assim se foi mais um dia inesquecível no Paraíso chileno!